Seja um Cliente
REPRESENTAÇÃO COMERCIAL

REPRESENTAÇÃO COMERCIAL – AS MUDANÇAS NO SIMPLES NACIONAL/2018

Se um dos grandes problemas do representante comercial é a alta carga de impostos, esse desafio promete se tornar ainda maior. A representação comercial sofrerá sérias mudanças no Simples Nacional em 2018.

Por isso, a partir do ano que vem, vale a pena constituir uma empresa de representação comercial, já que a toda a tributação irá mudar.

Até 2017, a tributação sobre os profissionais de representação comercial era calculada pelo anexo 6. Nesse caso, a taxa já começava a uma alíquota de absurdos 16,03%. Agora, a Receita Federal aboliu esse anexo, deixando apenas os anexos de número 1 a 5.

Entretanto, isso não significa, necessariamente, que as coisas ficarão melhor. Isso porque a forma como o Simples Nacional é calculado também mudou. Para o representante comercial poderá ser tributado pelo anexo 3, o que representa uma taxa inicial de 6% ou pelo anexo 5, que se inicia a uma taxa de 15,50%.

E em qual anexo você irá se enquadrar?

Essa é a pergunta que não quer calar. Mas, não se desespere. Eu tenho essa resposta para você!

O que irá determinar em qual anexo você será enquadrado é o Fator R. E, se você ainda não sabe o que é esse Fator R, sugiro que continue a leitura deste post e descubra qual será o seu anexo!

O FATOR R – O QUE É ISSO, AFINAL?

É uma conta relativamente simples, ainda que possa causar certa confusão para o representante comercial. Mas, veja só:

Será preciso coletar a despesa com retirada do pró-labore e somar com os encargos dos últimos doze meses. Este valor será importante mais a frente, portanto, guarde-o muito bem e o chame de X!

O próximo passo é somar a sua receita bruta dos últimos doze meses. Vamos chamar esse valor de Y.

Então, vamos resumir:

X= despesa com retirada do pró-labore + encargos dos últimos doze meses;

Y = a soma da receita bruta dos últimos doze meses.

Agora, basta dividir X por Y.

O resultado disso será o FATOR R!

Em outras palavras, você pegará o resultado da soma da despesa com retirada do pró-labore com os encargos dos últimos doze meses e irá dividir esse resultado pela soma da receita bruta dos últimos doze meses. O valor final será o Fator R.

A partir do resultado obtido, você deverá consultar a tabela do simples. Se o resultado for correspondente a um valor acima de 28%, então você estará enquadrado no anexo 3.

Caso esteja abaixo de 28%, será enquadrado no anexo 5!

Ainda assim, cada caso é um caso, e a melhor escolha é sempre procurar um contador de confiança. Você, representante comercial, é a especialidade da ACCE. Entre em contato conosco e saiba TUDO SOBRE AS MUDANÇAS PARA REPRESENTAÇÃO COMERCIAL DO SIMPLES NACIONAL EM 2018!

Seja diferente, inove, evolua, inscreva-se em nossa newsletter !

Não deixe de buscar ajuda e prepare-se para as mudanças. Vamos avaliar as possibilidades juntos e descobrir o que é melhor para a sua empresa!

Um forte abraço e muito sucesso para você!

Este post tem um comentário
  1. Bom dia
    Sou do RJ , tenho uma representação comercial onde represento uma empresa de calçados.

    Desde de 2015 estou no simples nacional , não tenho funcionário e nem prolabore !! emito uma média de 1.500,00 de NF por mês ( tem mês que não tiro NF por não ter comissão pra tirar ) eu pagava 6% de imposto e agora passei a pagar 15,50 !! meu contador falou que não posso mais estar no anexo 3 !! que agora estou no 5 !!
    O que eu faço ?? é isso mesmo ?? me ajudem por favor
    Obrigado

    Abçs

    Alberto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *